segunda-feira, 17 de maio de 2010

A maior dor do mundo


A maior dor do mundo não é a dor do parto
nem a do tapa na cara, nem a do chute no saco

Também não é a dor de um corte de papel
muito menos a de um chute na canela.
Não é aquela dor de amor que a gente acha que nunca vai passar.

Não é aquela dor de dente que parece te matar aos poucos.


A maior dor do mundo é a dor da solidão.

Porque, sim, dói. Muito.

Solidão não é um fato, não é uma ocasião. É um estado de espírito.
Você não FICA sozinho.

Você não ESTÁ sozinho.

Você se SENTE sozinho.


Para todas as outras dores, há remédio, tempo, conversa..

Para a solidão há apenas a solidão, e só.

Só, você olha para dentro de si e deseja sair

Vem a estranha sensação de não caber mais no corpo.

Tudo parece grande demais, forte demais, triste demais.


Porque a solidão é ter que estar obrigatoriamente na companhia de si mesmo.

E isso incomoda, perturba, angustia.

Solidão é estar sozinho no meio do povo.
É gritar como um mudo.

É andar sem direção.

É levar nas costas um peso maior do que se pode carregar.


Pior.

É não ter ninguém para te acompanhar
Nem para dizer que está ouvindo

Nem para te mostrar um caminho

Nem para te estender a mão.


Solidão dói.
É a maior dor do mundo.
Porque depende só de voce curá-la, ou não.

São 1h30 da manhã de segunda-feira. O dia foi horrível.
Desses que a gente deseja nunca ter existido.
Desses que a gente gostaria de não ter saído da cama. Desses que você se sente sozinha e angustiada do começo ao fim. Eu tive que escrever pra tentar espantar os meus demônios, o resultado ta aí. Não é nenhuma obra-prima, até porque não sei escrever poesia muito bem, mas valeu o esforço. Eu precisava escrever, só.

@TuaniCarvalho

5 comentários:

Melodias de uma garota nada normal !!! disse...

as vezes me sinto assim tbm.
não gosto da solidão,acho q ninguem gosta..
espero que seu dia hj seja melhor..
bjinhos

x Betha disse...

estou me sentindo assim.. a mt tempo, sem remédio e solução ai como isso é ruim !

Fernanda Pasqualeto disse...

Geeente
você escreve muito bem!
Parabéns :)
adorei o post!

Anônimo disse...

odeio solidão

muito bom o texto, parabéns tutti!
@GiovanaOrcioli

Marina disse...

quase plágio de Martha Medeiros em "Saudade dói"

Postar um comentário